Tendência | Festas com toque artesanal

A prova do porquê das festas da Maria Festinha estarem fazendo tanto sucesso foi publicada na Revista Kids In {Ano II – Número 10}. O texto é de Luciana Baroni.


“Quem não se lembra das festinhas em que mamães, titias, madrinhas e vovós se juntavam para fazer os enfeites, a decoração e, um dia antes do nosso aniversário, para bater um bolo na mão e enrolar docinhos? Para nós, crianças na época, restava a árdua tarefa de lamber os potes de um jeito que nos fazia sentir participativos na organização da festança, que costumava ser caseira e aconchegante. Hoje, a tendência desse tipo de evento, com um toque artesanal, está em voga, com a diferença que existem empresas que ajudam na organização e fazem de tudo para que os pequenos tenham uma celebração onde menos é mais e com jeitinho de festa feita na sala de casa, no quintal ou no play.


O que se percebe é que o estilo craft e as decorações tipo vintage , que seguem uma linha mais artesanal, com elementos mais tradicionais e antiguinhos, estão ditando a moda das celebrações infantis da garotada despojada, se tornando referência para muitos pais na escolha do tema e de como será a comemoração dos pequenos.

Entre as características desse tipo de festinha estão a opção por um local com pouco mobiliário e mais espaço para os convidados circularem, tons pastel e estampas miúdas para a ambientação, brincadeiras tradicionais e eco-friendly. Sem falar nos buffets com opções mais naturais, caseiras, sem frituras e com o mínimo de industrialização possível.

O foco dos eventos, e que mais lembram as comemorações da nossa infância, é a personalização, muitas vezes envolvendo fotos e o nome do aniversariante aplicados na decoração e até mesmo nos mínimos detalhes, como cupcakes, copos e pratos produzidos artesanalmente. E para a festinha ficar ainda mais moderna e por dentro das tendências mundiais, a ideia é que tudo isso aconteça em um espaço aberto, de preferência no jardim da casa do próprio aniversariante, no salão de festas do prédio ou em uma casa de eventos mais espaçosa e ligada à natureza, todos previamente preparados para brincadeiras artesanais e muita diversão ao ar livre.

(…)

Produtos industrializados e personagens licenciados caíram em desuso, dando espaço para peças exclusivas, feitas à mão e customizadas.

(…)

O conceito de festas sofisticadas, com muito barulho, música alta e jogos eletrônicos, perde espaço para a prática de atividades mais saudáveis e reuniões aconchegantes, com menos convidados, soluções criativas, bate-papo e interação. Os pais também são mais participativos, tanto na organização, quanto nas próprias atividades recreativas realizadas durante a festa.”


É isso aí, pessoal, hoje em dia, menos é mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *